Obesidade

Mona Lisa, por Fernando Botero

Mona Lisa, por Fernando Botero

Ao contrário do que muitos pais pensam, criança saudável não significa criança gorda. É na infância que adquirimos nossos hábitos  alimentares. Segundo pesquisas, cerca de 40% das crianças que são obesas na infância, irão se tornar adultos obesos.

A obesidade não é só um problema estético, o excesso de peso pode provocar o aparecimento de vários problemas de saúde como diabetes, problemas cardíacos (pressão alta), aumento do colesterol,  alterações ortopédicas (dores articulares). Crianças obesas podem ser vítimas de apelidos e bullying o que pode afetar a sua integração na escola.

Cerca de 15% das crianças e 8%  dos adolescentes são obesos e 8 entre 10 adolescentes continuam obesos quando adultos.

As causas para o desequilíbrio entre calorias ingeridas e queimadas podem variar de pessoa para pessoa. Hábitos alimentares errados, fatores genéticos, sedentarismo, distúrbios psicológicos e problemas familiares são os mais freqüentes desencadeantes de obesidade.

Consumo exagerado de alimentos gordurosos:

Ingerir grande quantidade de comida nem sempre é o responsável pelo aumento exagerado de peso, alimentos de alto valor calórico causam aumento de peso mesmo não sendo ingeridos em grande quantidade. Por exemplo: batata frita, cheesburguer, hambúrguer.

As crianças costumam imitar os pais, assim sendo se os pais têm hábitos alimentares errados acabam induzindo seu filho a alimentar se do mesmo modo.

Sedentarismo:

A vida sedentária facilitada pelos computadores, videogames, televisão … fazem  com que muitas crianças e  adolescentes praticamente não pratiquem exercícios. A violência urbana muitas vezes impede atividades ao ar livre como jogar bola, andar de bicicleta… e muitos pais preferem que seus filhos fiquem dentro de casa, onde estão seguros, levando-os a passarem horas em frente a TV ou algum outro equipamento eletrônico, e quase sempre acompanhados de biscoito, pipoca, sanduíche e refrigerante.

Stress e depressão:

Os jovens também são alvos de stress, causado por provas, vestibular, brigas com namorado (a) entre outros. A ansiedade pode fazê-los comer mais.

Gordinhos muitas vezes são excluídos de várias atividades ou sofrem gozação dos colegas. Isso pode levar a criança ou o adolescente a sentir se envergonhado e isolar se fazendo da alimentação uma fuga da realidade, isto é, quanto mais rejeitados, mais ansiosos, mais comem. Gordinhos com freqüência apresentam baixa autoestima e apresentam dificuldade para fazer amizade.

Pessoas com depressão sofrem alterações de apetite podendo emagrecer ou engordar. Algumas pesquisas mostram que pessoas deprimidas não praticam exercícios e comem mais doces, principalmente chocolate.

Fatores Genéticos:

Se a criança ou adolescente tem pais obesos corre grande risco de se tornar obeso também porque a obesidade pode ser genética.

Alterações hormonais:

Alterações hormonais como: excesso de insulina, deficiência de hormônio de crescimento deficiência de estrógeno e outros podem causar obesidade.

Prevenção é a palavra chave para evitar a obesidade.

  1. Consultar um endocrinologista antes de começar um regime.
  2. Não usar remédios para emagrecer sem antes consultar um médico. Muitas pessoas que usam estes remédios voltam a engordar rapidamente quando param o uso da medicação.
  3. Evitar pensar negativamente: muitas pessoas começam uma dieta, acreditando que ela não vai dar certo.
  4. Realizar no mínimo 5 refeições diárias: café da manhã, almoço e jantar; intercalados com lanches que não devem ter alto valor calórico. Coma de preferência frutas, elas contêm fibras, vitaminas e minerais e baixo teor calórico.
  5. É importante ter uma alimentação balanceada, rica em frutas, verduras e legumes.
  6. Respeitar o horário das refeições e não beliscar nos intervalos.
  7. Evitar alimentos gordurosos, doces, frituras e refrigerantes.
  8. Praticar exercícios físicos.
  9. Beber bastante água. A água mantém seu corpo hidratado e é muito importante para o bom desempenho das funções do organismo.

água

Importância do café da manhã

É muito importante tomar um bom café da manhã, porque passamos muito tempo sem nos alimentar enquanto estamos dormindo. Nossas reservas de energia corporal estão baixas ao acordarmos, pois mesmo em repouso nosso corpo continua gastando energia para reparar os tecidos e manter nossas funções vitais (atividade cerebral, respiração, circulação sanguínea).

Começar o dia em jejum obriga o organismo a economizar energia, resultando numa queda do gasto calórico, ficando mais difícil perder peso. Já o hábito de tomar café acelera o metabolismo, ou seja, o organismo passa a queimar mais calorias.

Reabastecemos nossas reservas energéticas durante o desjejum. Ao acordar estamos ligeiramente hipoglicêmicos, mas sem sintomas. No entanto se os níveis de glicose continuarem caindo, devido ao jejum prolongado, sintomas como: mau humor, tonturas, dor de cabeça, mal estar, tremores, desatenção, dor de estômago, podem surgir prejudicando o desempenho escolar e outras atividades do seu dia a dia. Geralmente estes sintomas desaparecem após a ingestão de alimentos.

“Durante a adolescência, o corpo está passando por mudanças consideráveis e uma alimentação balanceada e nutricionalmente adequada é essencial para a construção e a manutenção dos tecidos corporais”, diz a nutricionista Cibele Crispim. O corpo tem também um grande gasto calórico devido ao metabolismo acelerado e a prática de exercícios físicos. É importante não pular as refeições e manter um intervalo de no máximo 4 horas entre elas. Quando você faz uma refeição após um jejum prolongado seu corpo tenta estocar o máximo de energia que conseguir, como uma precaução para uma possível carência de energia futura.

Várias pesquisas americanas demonstraram que tomar um bom café da manhã, principalmente com alimentos ricos em fibras, promove maior sensação de saciedade ao longo do dia, e faz com que o individuo tenha menor propensão a comer em excesso nas outras refeições.

Os carboidratos (frutas, cereais integrais e pão) no café da manhã terão a função de repor as reservas de glicose que foram gastas durante a noite e fornecer energia para as atividades do dia. Os cereais demoram mais para ser digeridos mantendo o metabolismo acelerado.

As proteínas (queijo branco, presunto sem gordura, peito de peru ou de frango, iogurtes e leite desnatado) são importantes na formação de músculos, órgãos, cabelos, unhas, anticorpos, hormônios etc. e aumentam também a sensação de saciedade ao longo do dia, reduzindo o desejo de comer doces e carboidratos.

Resumindo:

  • A primeira refeição do dia é responsável por repor a energia consumida durante o sono e fornecer combustível para retomar as atividades do dia.
  • O café da manhã auxilia no controle do apetite durante o dia e estimula o gasto de energia necessário para a digestão e absorção dos alimentos.
  • Pular refeições principalmente o desjejum não ajuda a emagrecer. Mantenha um intervalo de no máximo 4 horas entre elas. Se seu horário estiver muito apertado e você perceber que não vai dar para fazer um bom desjejum, faça um lanche entre o café e o almoço. (fruta, iogurte desnatado, um pedaço de queijo branco, etc.)
  • Indivíduos que não se alimentam bem pela manhã tendem a ganhar mais peso e apresentam maior risco de obesidade.
  • O período da manhã é o horário ideal para cair em tentação e comer um doce, uma vez que você terá o dia inteiro para queimar estas calorias.
  • O resultado de uma dieta mal planejada pode ser perda de músculos e ganho de gordura, mesmo que você coma pouco.

Comece seu dia com o pé direito tomando um café da manhã saudável. Venha para a escola mais bem humorado(a), mais alerta para aprender, sem queixas de dores de cabeça, tontura e dor de estomago e consciente de que você está se mantendo em boa forma física.

Bibliografia:
http://marcionutricionista.blogspot.com.br/2012/06/importancia-de-um-bom-cafe-da-manha.html
www.bancodesaude.com.br/user/…/blog/a-importancia-cafe-manha
www1.folha.uol.com.br/folha/comida/ult10005u392020.shtm
2009 International Food Information Council Foundation. 2009 International Food Information Council Foundation Food and Health Survey: Consumer Attitudes toward Food, Nutrition & Health. Executive Summary of report available at http://www.ific.org/research/foodandhealthsurvey.cfm. International Food Information Council Foundation (IFIC). IFIC Review: Breakfast and Health. Dec. 2008. http://www.ific.org/publications/other/breakfast.cfm