Devo levar meu filho adolescente ao Urologista?

Os meninos devem ir ao urologista no início da adolescência (entre os 12 e 14 anos) antes de iniciar a vida sexual e mesmo depois de iniciá-la; assim como as meninas devem consultar um ginecologista. Um dos objetivos desta consulta é preservar a capacidade reprodutiva do jovem. É importante também para esclarecer dúvidas, obter certeza de sua normalidade física, descobrir e conhecer o funcionamento de seu corpo e aprender a tomar alguns cuidados, tais como evitar gravidez, as doenças sexualmente transmissíveis e como fazer a higiene do pênis.

O desenvolvimento do corpo do homem, durante a puberdade, acontece de forma desordenada, principalmente no que se refere aos genitais.

Dúvidas sobre o tamanho do pênis, sua forma, à quantidade de pele, sobre as ereções matinais, a produção e a eliminação de sêmen, podem gerar angústia, dúvidas, timidez, insegurança, baixa autoestima e até agressividade.

O câncer de pênis pode ser provocado pelo HPV e por higiene inadequada. Ele é mais comum em adultos acima de 40 anos, mas é importante aprender como fazer a higiene do pênis desde cedo.

Os adolescentes devem participar da escolha do seu médico. É importante gostar e ter confiança nele para poder se abrir e esclarecer suas dúvidas. O ideal é que o médico trabalhe com adolescentes e que a primeira consulta possa ser só para conversar, e sem a presença dos pais se for do desejo do adolescente.

A preservação da fertilidade deve ser um dos tópicos importantes a ser abordado:

O uso de drogas:

  •  Maconha e cocaína alteram a produção de hormônios envolvidos na produção de espermatozóides, mas geralmente o problema desaparece quando se suspende a droga.
  • Anabolizantes provocam atrofia de testículos, com queda acentuada da produção de espermatozóides e em 25% dos casos é irreversível.
  • Cigarro diminui a produção de espermatozóides de boa qualidade.

Lubrificantes: prejudicam a mobilidade do esperma.

Medicamentos: alguns podem afetar a produção e a qualidade dos espermatozóides. Nesta lista incluem se certos antibióticos, drogas para tratamento de câncer, para hipertensão e contra a queda de cabelo (que bloqueiam a produção de testosterona)

Peso: o hormônio masculino (testosterona) é transformado em estradiol hormônio que determina as características femininas. Isto ocorre nas células adiposas (células de gordura). Quanto mais gordura maior esta conversão, com queda da fertilidade.

Estresse: altera a produção de hormônios.

Falar, pensar e fazer sexo sempre foram considerados “comportamentos típicos de macho”, mas meninos também têm dúvidas e ninguém nasce sabendo tudo sobre sexo.

Notícias/Ciência& Saúde. 17/11/2009. 19:26.Dr. Rodrigo Lessi Pagani, andrologista, professor do Curso de Pós-Graduação em Infertilidade Humana do ICS instituto de Ciência da Saúde.