Vestibular e descanso: é possível?

Autores: Roberto Nasser, Elisabete Rosa, Juvenal Carlos Schalch e Osmar Antônio Ferraz.

O Ensino Médio é uma fase muito complicada para o adolescente, pois ele está chegando à reta final de seus estudos fundamentais e partindo para desafios mais complexos e decisivos em sua vida. No entanto, o último ano do Ensino Médio é o que parece trazer os alunos a essa consciência, tornando-os mais ansiosos, preocupados, agitados e, muitas vezes, esgotados.

Nesse período da vida escolar, a preocupação com o vestibular vai de encontro com as vontades dos adolescentes, que prefeririam descansar, encontrar-se com os amigos nos finais de semana, viajar nas férias. Mas será, mesmo, que esses interesses são completamente incompatíveis? Nem sempre.

O que ocorre nesse período da vida é que o aluno, talvez pela primeira vez em sua vida, tenha de assumir uma postura madura e responsável e identificar quais são suas prioridades. Se para ele o vestibular, a faculdade, não é uma prioridade, não há um dilema a resolver: o aluno não precisa dedicar-se com mais afinco aos estudos. No entanto, caso considere algo importante para sua vida, naquele momento, concorrer a uma vaga em uma determinada instituição de ensino superior, ele precisará deixar para segundo plano outras atividades que considera prazerosas. A possível recompensa, ao final do ciclo dos vestibulares, só virá com muito trabalho e dedicação.

Por outro lado, os alunos que admitem o vestibular como uma prioridade, muitas vezes, acabam pecando pelo exagero: abandonam completamente atividades prazerosas, o convívio social; diminuem as horas de sono, passando parte da madrugada a estudar; não viajam nem se divertem nas férias, alimentam-se mal para não perder muito tempo com as refeições. Embora esses alunos estejam certos do que desejam e estejam deixando clara sua prioridade, não estão sendo responsáveis, pois estão tomando atitudes que comprometem seu aproveitamento. Uma pessoa exausta, com sono e mal alimentada não consegue raciocinar direito.

Sendo assim, o ideal é que o aluno não seja exagerado, mas sim, acima de tudo, organizado. A organização permite que o vestibulando consiga estudar e descansar na medida necessária.

Como se organizar

 Em todo e qualquer planejamento, é necessário estabelecer objetivos possíveis de serem alcançados. Sendo assim, não adianta o aluno elaborar uma planilha de horário de estudo com muitas horas se, de antemão, ele já sabe que não conseguirá cumpri-las. Dessa forma, o adolescente deve estabelecer determinados horários para estudar, permitindo liberdade, em alguns dias, para uma atividade prazerosa, social ou esportiva. É necessário que o aluno estabeleça uma meta de estudos por dia: que matéria(s) será(ão) estudada(s), quantas páginas de apostila, quantas unidades de livro, e quantas resoluções de exercícios. Isso ajuda, inclusive, a diminuir a angústia sentida, muitas vezes, pela sensação de não dar conta do que precisa ser estudado.

Também não é adequado que os estudos comecem muito cedo e terminem muito tarde. O descanso e o lazer programados são essenciais para que os estudos sejam, de fato, proveitosos. “O stress esgota as atividades dos neurônios, causa problemas na transmissão e faz com que as sinapses não ocorram adequadamente” [1]. Por outro lado, o sono “(…) restaura as sinapses, elo transmissor entre os neurônios, e melhora o funcionamento do cérebro. Oito horas de sono é o ideal.” [1]

Uma vez definidas as horas possíveis de estudo, descanso e lazer, é fundamental manter uma rotina de execução das atividades programadas. É necessário que o aluno tenha um cronograma de estudos bem definido, com horário de início e fim das tarefas, bem como as pausas programadas para descanso, alimentação e higiene. Se o aluno se dedicar a cumprir todas as atividades nos limites de tempo programados, vai sentir-se mais seguro e tranquilo.

A parte talvez desagradável de tudo isso é que o cronograma de estudos deve incluir finais de semana e as férias. Aos finais de semana, é adequado que o aluno reserve 6 horas no sábado e 4 horas no domingo para estudos. O restante do tempo, o aluno pode – deve – dedicar a outras atividades. Nas férias, o ideal é que o aluno descanse – ou viaje – na primeira semana, pois, dessa  forma, descansa o corpo e a mente depois de um semestre de muito estudo. No entanto, nas semanas seguintes, é necessário que o aluno retome sua rotina de estudos, pois, assim, estará revisando conteúdos e, ao mesmo tempo, preparando-se para voltar ao ritmo acelerado do segundo semestre.

Portanto, apesar de parecer tenebroso, o período pré-vestibular pode e deve conciliar muito estudo e descanso na medida necessária. Basta, para isso, que o aluno mantenha-se organizado e disciplinado.

_______________________

[1] Superinteressante, Março/2012, p.82.