Socorro, meu cabelo está caindo!

Encontrar cabelo em excesso no ralo do chuveiro, nas escovas, na fronha do travesseiro são sinais de alarme.

Os números encontrados na literatura médica relacionados à alopecia (calvície) são impressionantes: 50% dos jovens a partir dos 15 anos de idade já começam a perder os cabelos. As meninas também apresentam o problema. Inúmeros trabalhos médicos internacionais demonstram que uma em quatro mulheres tem problemas de queda anormal dos cabelos.

Mas, afinal qual a causa disso em indivíduos tão jovens?

A alopecia nos adolescentes quase sempre decorre de uma associação de causas. Sem dúvida, as alterações hormonais dos rapazes e das moças nesta fase da vida são naturais e, nela, há um aumento significativo da oleosidade do couro cabeludo. Como consequência, é comum nesta região o aparecimento de uma inflamação chamada de dermatite seborreica (caspa). Desta inflamação resultam a caspa e o aumento da queda de cabelos.

Entre os vários tipos de alopecia a androgenética é a mais comum, atinge principalmente os homens. O DHT uma substância derivada da testosterona destrói o bulbo capilar.

Outras causas:

  • Predisposição genética (principalmente nos homens).
  • Estresse.
  • Deficiências nutricionais e vitamínicas.
  • Drogas ilícitas e álcool.

A queixa de rareamento capilar desses jovens pacientes que procuram o Instituto do Cabelo vem sempre acompanhada de sinais negativos de autoestima. Este fator leva a problemas secundários como isolamento e depressão. Outra intercorrência que observamos na clínica diária é a relação direta entre queda dos cabelos e as cirurgias de redução de estômago, procedimento este que vem aumento consideravelmente, motivado justamente pela obesidade mórbida e, até mesmo, com finalidade puramente estética.

E as dietas? Sem dúvida os regimes para emagrecer sem acompanhamento médico e os modismos alimentares para redução de peso são causas frequentes de uma queda anormal dos cabelos. A busca incessante para enquadrar-se nos padrões de beleza ditados pela mídia agrava a situação. Muitas vezes camufladas na queixa da queda dos cabelos encontra-se uma doença grave e que pode ser fatal: a anorexia nervosa.

A alimentação inadequada e em horários irregulares também é bastante prejudicial para os cabelos. O prejuízo nutricional advindo do excesso de ingestão de gorduras e sal pelos jovens é significativo.

Para que se tenha ideia concreta do problema, as principais redes de fast-food do país vendem sanduíches com percentual de gordura e sal que chegam a corresponder à quase totalidade diária dos nutrientes recomendados pela OMS (Organização Mundial de Saúde), segundo levantamento do IDEC (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor).

A ingestão em excesso de bebidas alcoólicas, refrigerantes com açúcar e doces em grande quantidade é prejudicial aos cabelos. É importante frisar o malefício das drogas ilícitas como maconha, cocaína, crack e outras, com risco de morte, que representam para seus usuários e, também, como causa importante de calvície nos jovens. Merecem destaque os esteroides anabolizantes usados para tornar o corpo “sarado” e aumentar a autoestima. Estas drogas levam a problemas irreversíveis no fígado, rins, testículos e coração. Portanto, se o usuário se mantiver vivo, ficará calvo, com certeza. Dessa forma, não use esteroides anabolizantes sem indicação médica especializada.

Dicas para não ficar careca:

  • Alimente-se de forma variada e em horários corretos.
  • Fique longe das drogas, álcool, cigarro e anabolizantes.
  • Fuja dos salgadinhos, biscoitos, batatas fritas e do fast-food.
  • Suplementos alimentares indicados para “malhação” podem ser ingeridos, desde que não contenham substâncias hormonais em suas formulações.
  • Raspar a cabeça não fortalece os fios.
  • Pratique esportes. O sedentarismo aumenta a produção de óleo pelas glândulas sebáceas.
  • O uso de gel não prejudica os cabelos. Use produtos que não contenham álcool ou silicone (PVP).
  • Tiaras, elásticos, “piranhas”, dreads e grampos podem provocar calvície irreverssível por trauma e tração do cabelo.
  • Use o boné somente para proteger-se do sol.
  • Drogas ilícitas (maconha, cocaína, ecstasy, crack), excesso de álcool e o fumo provocam queda dos cabelos.
  • Uso de “chapinhas” causam danos irreversíveis aos fios. O secador pode ser usado, em temperatura média e a uma distância de 30 centímetros dos fios.
  • Os cabelos podem ser tingidos. Procure um técnico capacitado e produtos aprovados pela ANVISA.
  • Tatuar o couro cabeludo raspado impedirá o crescimento dos fios na área tatuada de forma definitiva. Pense bem!
  • Nunca durma com gel ou musse nos cabelos. Isto provoca a quebra dos fios.
  • Nunca lave a cabeça com água quente. A temperatura ideal da água é de 20°C. na prática sinta frio ao lavar a cabeça.
  • Lave a cabeça, diária e suavemente com xampus sem sal.

Dr Luciano Barsanti
Médico Tricologista
Diretor Instituto do Cabelo
Presidente da Sociedade Brasileira de Tricologia
Autor do Livro “Dr Cabelo” – Editora Elevação

Dra Beatriz Salles Aguiar. Médica (CRM 20610) responsável pelo Ambulatório  Médico do Colégio Bandeirantes.